Resenhas

Evelina, de Frances Burney

19 de outubro de 2014

IMG_9170“Evelina” é um romance clássico e epistolar sobre a entrada de uma jovem dama, em seus quase 18 anos, aos círculos da sociedade londrina do séc. XVIII. Escrito por Frances Burney, grande nome da literatura inglesa e uma das inspirações de Jane Austen; sua escrita é sutil, encantadora e extremamente cativante. Este livro foi publicado pela primeira vez em português pela Pedrazul Editora, em 2014.

Enredo e Personagens

IMG_9197

Evelina é uma jovem dama que está em seus quase 18 anos, e desde sempre tem sido criada e educada em Berry Hill, no interior, pelo Rev. Mr. Villars, a quem ela deve sua mais nobre e completa devoção. A protagonista deste romance é ainda uma menina inocente e pura, pelo que se pode supor de seu comportamento, ainda inexperiente e ignorante da vida na alta sociedade. Evelina é orfã de pai e mãe posto que, sua mãe morreu quando ela ainda era um bebê e seu pai é desconhecido para ela por vergonhosamente ter abandonado sua mãe após ter-se casado às escuras com ela, deixando-a à sua própria sorte pouco depois. Caroline, mãe de Evelina, solicitou que Mr. Villars jamais fizesse conhecido à Evelina a identidade de seu pai, porém em seu leito de morte deixou uma carta a ser entregue à Mr. Belmont, caso algum dia se faça necessário que Evelina venha a reivindicar seu sobrenome e herança.

IMG_9151

“Não me negue, mais encantadora entre as mulheres,” disse ele, “não me negue este único momento que me é emprestado, para despejar minha alma em seus gentis ouvidos – para dizer-lhe o quanto sofro com sua ausência, quanto temo seu desprazer, e quão cruelmente sou afetado por sua frieza!” (pág. 142)

IMG_9162

Lady Howard e a influente família Mirvan, velhos conhecidos de Mr. Villars, após se darem conta da reclusão de Evelina no interior por muitos anos, solicitam sua presença e companhia para sua única filha, Miss Mirvan, e para tal eles pedem permissão para que Evelina passe algum tempo com eles na cidade para que respire outros ares e se familiarize com os costumes em sociedade, o que Evelina prontamente se anima. Com o consentimento de Mr. Villars então, Evelina viaja e fica aos cuidados da família Mirvan. Eventualmente se faz necessário que a família Mirvan viaje à Londres portanto, por eles assistida, Evelina vai para Londres e começa a frequentar teatros, operas, bailes e outros ambientes sociais, maravilhando-se da grandiosidade da vida na cidade. Em meio à comitiva de Mrs. Mirvan, Evelina conhece Lord Orville, Mr. Lovel, Sir Clement Willoughby, entre outros da alta sociedade que frequentam a casa dos Mirvan. Este primeiro, Lord Orville, por sua polidez e excelentes modos, tão facilmente ganha a confiança e admiração de Evelina que ela prefere omitir todos os fatos desagradáveis a respeito de seu nascimento e origem.

A contra-gosto do Rev. Mr. Villars, Madame Duval, mãe de Caroline e portanto avó de Evelina, veio após tantos anos de negligência, solicitar sua guarda temporariamente, o que acaba sendo concedido e Evelina se vê agora em proteção de Madame Duval, uma senhora de natureza vulgar e pouco respeitosa, prepotente e rude que só faz o que bem entende. A pobre Evelina então tristemente se vê membro da comitiva dos Branghton, a impertinente e interesseira família de Madame Duval – e consequentemente sua também – e sem escolha, passa a frequentar com eles ambientes menos propícios a uma respeitável jovem dama.

IMG_9194

IMG_9153

Entre as muitas aventuras, confusões, galanteios e equívocos que Evelina passa em seu período longe de Berry Hill e da proteção de seu mais zeloso guardião Rev. Mr. Villars, está a oportunidade de reivindicar seu sobrenome e direitos, assim como limpar a honra de sua falecida mãe. Porém há tantos mal entendidos e tantos obstáculos que uma pobre jovem dama indefesa mal consegue dar um passo por si só sem ser vigiada, conduzida e submetida ao poder e a própria vontade de algum tutor qualquer, seja ao de Mr. Villars, de sua avó, ou de quaisquer família a qual ela tenha sido deixada sob os cuidados. Evelina terá de ser forte o suficiente para controlar sua própria mente e vontades para não se deixar levar por caminhos que não deseja e finalmente escrever sua própria história.

IMG_9201

Minhas impressões

Vamos às minúcias!

Recebi este livro na época do meu casamento, lua de mel, mudanças, Bienal, etc., portanto demorei para começar a leitura, e muito me arrependo disso pois, agora posso dizer com certeza: estou apaixonada por Evelina, por Frances Burney, e em especial pela Pedrazul Editora. A diagramação de Evelina é puro amor, fonte e espaçamentos perfeitos, a editora realmente arrasou em cada pequeno detalhe da edição. Agora só posso esperar coisas boas dessa editora, que é aqui da minha terrinha, Espírito Santo.

A delicadeza e a leveza deste livro mexeram muito comigo. Se eu pudesse dizer algo à Evelina seria oferecer minha eterna amizade pois, me identifiquei muito com ela e a admirei muito durante essas 386 páginas. Seu altruísmo, bondade e pureza de alma são louváveis. De fato, os personagens são extremamente bem construídos a ponto de nos fazer conhece-los muito bem, mesmo que seja através das cartas da própria protagonista, sob o seu único ponto de vista. Entretanto, Evelina mostra uma conduta tão perfeita e de boa índole que não nos atrevemos a duvidar de seus registros a respeito dos eventos e dos personagens.

A narrativa epistolar – por meio de cartas – não deixa nada a desejar, seja pela descrição dos acontecimentos, diálogos ou sentimentos e impressões da protagonista. Este artifício literário trouxe, ainda, um charme a mais para a história, que por si só já é muito envolvente e conquista nossos corações de imediato. A linguagem usada coincide com aquela já conhecida e usada em Clássicos do século XVIII, e ainda assim, não é tão rebuscada a ponto de atrapalhar o entendimento dos fatos. A história é muito bem amarrada, do início ao fim, de forma a fechar o livro com chave de ouro!

E se vocês estão se perguntando “OK, eu entendi todo o lance familiar e social da história, mas… cadê o romance?” eu lhes digo: “SIM, HÁ ROMANCE!” e ele se dá por meio do par romântico mais óbvio e apropriado à Evelina desde o princípio, Lord Orville, cuja sensibilidade e honra muito me afetaram. Não posso contar qual é o desfecho mas, posso adiantar que ele é um cavalheiro para dama nenhuma botar defeito! À lá Mr. Darcy. E o que não falta neste livro são belas palavras, bilhetes e cartas românticas, muitos galanteios, promessas sussurradas, muitas esquivas, muita expectativa e exemplos claros da convivência na sociedade londrina do séc. XVIII. Tá bom ou quer mais?

Amantes de Clássicos: Fortemente recomendo, e com chocolate! 😉

IMG_9213O livro “Evelina” foi gentilmente cedido ao Nuvem Literária através de parceria com a editora.

parceria-pedrazul

Editora: Pedrazul Editora
ISBN:  9788566549065
Gênero: Clássico / Romance
Páginas: 387
Adicione: Skoob
Minha avaliação: ★★★★★
Adquira: Aqui

já viu os relacionados?

Deixe seu comentário

Comente com o WordPress

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Mariana Bortolotti julho 30, 2015

    Olá, Ju!
    Essa foi a primeira resenha que vejo de Evelina e já me apaixonei!! Tenho uma certa queda por romances de época, principalmente os britânicos, e me encantei por esse, principalmente por ter inspirado Jane Austen.
    Estou no meu primeiro livro da Jane, Orgulho e Preconceito, e já estou amando. Espero gostar igualmente de Evelina, assim que adquiri-lo.
    Gosto muito de suas resenhas!
    Beijos :*

  • Bárbara novembro 6, 2014

    Olá Juliana!
    Fiquei muitíssimo interessada em ler Evelina, pois é um dos meus estilos preferidos de leitura. Adoro romances de época, essa atmosfera mais romântica e misteriosa. Com certeza nasci no século errado… haha Já coloquei o livro em minha lista de próximas leituras, obrigada pela dica!

    Bjs

    • Juliana Cirqueira janeiro 29, 2015

      Oi Bárbara! 🙂
      Também sou apaixonada por Clássicos e Romances de época. <3
      Espero que goste dessa leitura!

      Beijo grande!

  • Anna Carolina outubro 23, 2014

    Acho tão lindo vocês que conseguem ler romances históricos. Eu por mais que tente, não consigo. Não sei qual é o problema exato, mas eu começo a me irritar muito e vai cansando.
    Dai todo mundo me odeia pq eu não suporto nem Jane Austen 😡

    • Juliana outubro 23, 2014

      ANNA DO CÉU! Nem acredito! Mentira, né?
      Gente… HUEHUEHUEUHE Mas assim, tô brincando, cada um tem seus gêneros preferidos, que se identifica mais etc, e isso não é nenhum pecado, hehehe.
      Eu não te odeio, tá? <3
      Desde que não brigue comigo por Jane Austen, tudo bem. hihi 😉

      Beijão!

  • Camila Lacerda outubro 22, 2014

    Resenhas sempre impecáveis Ju :))
    Eu não conhecia essa obra mas me interessei demais !!
    Inspiração de Jane! Que top…

    http://www.chadecalmila.com

    • Juliana outubro 23, 2014

      Oi Cami linda! <3
      OBRIGADA MESMO. Fico feliz que goste *-*
      Pois ééé, estou apaixonada pelos livros Clássicos da editora Pedrazul, e ainda mais por ela ser aqui do Espírito Santo, do ladinho de casa. Um sonho! <3

      Beijo grande, gatita!

  • Talita Becalli outubro 22, 2014

    Ju!!! Não acredito que você leu esse livro já!! Estou louca pra ler. Na verdade, estava louca para ler romances de época nesse estilo. Eu SIMPLESMENTE AMO livros com narrativa por meio de carta. É tão diferente e adorável. *amor por cartas bem aqui*
    Quero muito ler e sua resenha me deixou ainda mais curiosa. Aiiiiiiiii MAS É TANTO LIVRO PRA COMPRAR QUE ME DEIXA ATÉ TRISTE T.T
    É Jane Austen, Julia Quinn, Charlotte Bronte… queria conhecer os livros de todas elas *ainda não li um sequer* agora tenho mais essa na lista. Haja tempo para nós Ju.

    Beijão <3

    • Juliana outubro 23, 2014

      Ei Tataaaaaa!
      Menina, recebi esse livro da Pedrazul em AGOSTO! Como assim “já”? HUEHUEHUE
      Eu já estava quase sendo cobrada por eles, HUEHUE (mentira). Mas realmente não consegui ler antes, com a minha correria do casamento, lua de mel, viagem, casa nova, pegar presentes, arrumar casa, Bienal do Livro de SP, etc etc. Quando pude, comecei a ler os que estavam na fila de espera, que chegaram de outras editoras primeiro, aiai. Muita correria. Ainda tenho atrasados vários pra ler!

      TAMBÉM AMO <33
      Você precisa ler os livros da Pedrazul e os da Austen! <3
      HAJA TEMPO :'(

  • Vivian Moura outubro 22, 2014

    Ai… Já estou morrendo de amores por Evelina!
    Livros de época nos enriquece tanto com vocabulários, etc.
    Suas resenhas sempre me deixam entusiasmada.
    Compra garantida!
    Bjs!

    • Juliana outubro 23, 2014

      Oi Vivian! 🙂
      Poxa, obrigada pelo elogio, que bom que gosta das resenhas! 😀
      Amo livros de época, sou suspeita em falar deles, haha. <3

      Beijo grande!

  • Fatima outubro 21, 2014

    Wish list em 3…2…1!

  • Vitor outubro 20, 2014

    Adorei a resenha, muito interessante a história e esse ar europeu do século XVIII é magnetizante.
    Parece ser um ótimo livro para ler e presentear esse fim de ano.

    • Juliana outubro 23, 2014

      Oi Vitor!
      Nem me fale, eu sou apaixonada por esse clima do séc. XVIII. <3
      Sim, verdade! 😀

  • Daniela Farias outubro 20, 2014

    Apesar de ter estudado sobre os livros da Jane Austen ainda não consegui ler nenhum livro que segue essa linha. Toda vez que penso em comprar fico com meio que receio devido ao vocabulário que pode tornar a história cansativa e também de não gostar da história.
    Mas achei essa interessante, se tem um à lá Mr. Darcy no meio da história então vou ver se já acho esse livro aqui.
    Não conhecia essa editora Pedra Azul, adorei o nome deles! hehehehe
    Mandando bem nas resenhas sempre Ju!
    Beijocas!

    • Juliana outubro 23, 2014

      Sério? Ai meu Deus, Dani. HUEHUEUHE
      Não, mas pode acabar com esse receio aí! É muito tranquilo.

      Confesso que no começo você dá uma estranhada, eu mesma dei, por fazer muito tempo que não lia Clássicos, mas depois de algumas páginas você já entra no clima… Não sei se você percebeu, mas essa minha resenha mesmo, eu acabei usando um tom meio formal na minha escrita TOTALMENTE SEM QUERER porque eu já estava com o vocabulário do livro preso na minha cabeça e toda vez que penso na obra é quase como se eu já PENSASSE naquele vocabulário e estilo, haha. Estranho né? Mas SUPER LEGAL, eu AMO essa mágica que os Clássicos trazem, de nos transportar pra um outro universo.
      Sim, o Lord Orville é o próprio Darcy em pessoa. <3
      Pois é, o nome Pedrazul vem de um morro/montanha muito famoso no sul do Espírito Santo, onde o clima é mais friozinho, a pedra dá a impressão de ser mesmo da cor azul, muito linda! <3

      Obrigada, Dani linda! 🙂
      Beijos!

  • Daniele Soares outubro 20, 2014

    Ai, meu Deus! Já estou morrendo de amores por Evelina!
    Sou apaixonada por romances históricos (e cartas!) e agora mal posso esperar para lê-lo (…o que só acontecerá nas férias :/)
    PS.: Quão incrível é termos uma editora no “quintal de casa”? <3

    • Juliana outubro 23, 2014

      Oi Daaaani! 😀
      Hahaha, EU TAMBÉM! Romances históricos, de época e cartas. <3
      Nossa, muito incrível mesmo! Eu fiquei muito feliz!

      :*