Resenhas09 de dezembro de 2014

Proibido, de Tabitha Suzuma

Post por

IMG_3246

Proibido, escrito pela Tabitha Suzuma e publicado pela Editora Valentina em 2014, é um livro intrigante e extremamente denso. Com apenas 304 páginas, Proibido consegue tirar o fôlego dos leitores abordando um tema tão polêmico e pouco discutido em livros voltados para o público jovem

divisorvalentina

Enredo e personagens

Proibido começa proporcionando ao leitor uma boa perspectiva da família Whitely, seus integrantes e sua rotina. Dividido entre as narrativas de Lochan e Maya, o livro nos apresenta claramente os pontos de vistas dos dois protagonistas. Com isso, o leitor consegue compreender fielmente o que se passa dentro da cabeça dos dois personagens, assim como seus sentimentos, medos e conflitos interiores. O enredo é simples porém intrigante e escandaloso: incesto. Ou como Lochan e Maya iriam preferir que eu descrevesse: o amor entre duas pessoas que acidentalmente vieram a ser geradas pela mesma mulher. Lochan e Maya são irmãos, irmãos mesmo, de sangue. Não adotados ou meio-irmãos, irmãos de verdade. E se apaixonam.

IMG_3263

Lochan e Maya tem mais 3 irmãos menores: Kit, Tiffin e Willa (em ordem decrescente). Esses 5 irmãos foram abandonados pelo pai e estão sendo criados pela mãe, porém a mesma se comporta feito uma adolescente passando noites fora de casa e chegando bêbada, sem dar a mínima para as tarefas de casa, quiça as tarefas maternas. Ela diz se importar com eles, mas claramente está mais interessada em agradar o chefe Dave, com quem namora e passa a maioria noites fora “curtindo a vida” e recuperando os anos perdidos. Com isso, todas as tarefas da casa ficam por conta dos dois filhos mais velhos: Lochan e Maya, com respectivos 17 e 16 anos.

IMG_3257

Com essa rotina de dar café da manhã aos irmãos, leva-los na escola, ajudar nas lições de casa, fazer todas as refeições e tarefas de casa e por fim, coloca-los para dormir, é comum que Lochan e Maya se sintam quase como os verdadeiros “pais” dos seus irmãos. Eles se sentem esgotados dividindo as tarefas, ambos estão com uma carga de responsabilidade enorme nas costas com a ausência da mãe e a falta de uma boa estrutura familiar, a única coisa que eles tem é um ao outro, só podem contar um com o outro para manter a família unida e funcionando.

“Não há leis nem limites para sentimentos. Nós podemos nos amar tanto e tão profundamente quanto quisermos. E ninguém, Maya, ninguém vai poder jamais tirar isso de nós.”

IMG_3272

Desde muito novos, Lochan e Maya foram obrigados a tomar as rédeas da família e se virar, os dois sempre foram muito unidos e só tinham um ao outro para se apoiar. Segundo Maya, eles nunca foram apenas “irmãos”, mas sim companheiros, Lochan sempre foi seu melhor amigo e porto seguro, e sempre o amou acima de qualquer outra pessoa no mundo, e Lochan se sente da mesma forma. Uma dança, um leve toque, e um “quase beijo” foram o estopim para que ambos admitissem aqueles velhos sentimentos que há tanto tempo vinham guardando, disfarçando e tentando se convencer de que não era nada. Sentimentos que poderiam causar grande destruição.

“O ser humano precisa de um fluxo constante de nutrição, oxigênio e amor. Sem Maya, eu perco todos os três; separados, morreríamos lentamente.”

Uma mãe alcoólatra, irresponsável e ausente – pois ela praticamente já não estava mais morando com os filhos – e 5 menores de idade sem acompanhamento de algum familiar ou responsável… Bastava apenas uma ligação da escola ou algum vizinho desconfiado procurar a polícia e seria motivo suficiente para que as autoridades separassem as crianças e as mandassem para o Conselho Tutelar. Todo cuidado e discrição ainda era pouco para esconder a ausência da mãe, imagine só o que poderia acontecer se o romance de Lochan e Maya fosse descoberto?

IMG_3248

Minhas impressões

O livro é muito bem escrito e aborda o tema, mesmo algo tão polêmico, de forma sutil. Os personagens são muito bem trabalhados de forma que o leitor os conhece afundo, conhece seus medos, seus receios, suas limitações e seus sonhos. Lochan e Maya são um casal apaixonadíssimo e isso fica óbvio ao ler poucas páginas do livro, quase como se estivesse escrito em suas testas, caso viéssemos a conhece-los. É nítido que eles se amam verdadeiramente, e se a autora não tivesse explicitado que eles são irmãos, ninguém poderia dizer. Quando eles estão afastados, tudo vai mal, a família desanda, e quando eles estão bem, o clima da casa é outro, eles fazem todos felizes. O difícil é quando entramos nos temas incesto, ilegalidade, crime, religião… tudo isso se mistura e sabemos que é simplesmente imoral que um relacionamento desses seja permitido. Mas o problema aqui é que entramos em questões extremamente complexas, que deixam o leitor em cima do muro, que nos fazem duvidar de nossas próprias convicções e fazer questionamentos mais profundos. Ninguém tem respostas prontas pra esse tipo de questão, é normal que nós precisemos de tempo para refletir, e um livro como esses proporciona isso, esse momento de reflexão, dúvida e questionamento.

IMG_3268

Eu nunca tinha lido nada a respeito desse tema, pelo menos não em formato de ficção, observando uma história como essa, sob essa perspectiva. A leitura foi muito rápida e fluída, a autora consegue captar nossa atenção e nos mantém atentos do início ao fim do livro na expectativa de saber o desfecho de Lochan e Maya. Quando comecei a ler e percebi que se tratava se incesto, não achei que eu fosse gostar do livro, mas ao final do livro eu me peguei cheia de dúvidas e confesso que já estava torcendo pelo final feliz do casal.

IMG_3243

É um livro extremamente denso, de muita crítica social e que chama atenção dos leitores. Ainda assim não dei 5 estrelas porque demorei um pouco a ser convencida pelo tema e não seria algo que eu me interessaria a ler de cara, mas acabei tirando muitas lições e reflexões do livro. Vale a pena a leitura!

IMG_2716Este livro foi gentilmente cedido pela Editora Valentina através de parceria com o Nuvem Literária.

parceriavalentina

Editora: Editora Valentina
ISBN:  9788565859363
Gênero: Young Adult / Romance
Páginas: 304
Adicione: Skoob
Minha avaliação: ★★★★

já viu os relacionados?

Deixe seu comentário

Comente com o WordPress

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Jeniffer julho 19, 2015

    Oie Ju terminei de ler esse livro ontem e é um livro com um assunto tenso e que poucos entendem … Eu confesso fiquei triste e inconsolável , nunca tinha chorado lendo antes e foi muito uou ! Mais já estava torcendo pelo Lochan e a Maya ficarem no final pois ele demonstraram se amar verdadeiramente ! Amei seu ponto de vista a amo nuvem literaria ! Beijooos <3

  • Isa janeiro 8, 2015

    Ain, fico tão feliz quando vejo uma resenha de Proibido em blogs literários *-* Pq é tão difícil achar alguém que já leu o livro…fico morrendo de vontade de comentar sobre ele com todos! Haha
    Proibido foi uma das minhas melhores leituras desse ano! A história, simplesmente me sugou de uma forma que eu não imaginária que isso iria acontecer! Tive uma espécie de repulsa no começo justamente por não estar nem um pouco familiarizada com esse tema. Mas depois, quando eu vi, já tava super torcendo pelo amor de Lochan e Maya derem certo! O final partiu o meu coração completamente ): fiquei inconsolável, mas eu entendi e achei que de alguma forma, foi necessário acontecer aquilo, infelizmente (inclusive, estendendo a história além do livro, penso que Maya faria o mesmo). Enfim, parabéns pela resenha, pelo blog, por tudo! Acabei de conhece-lo e com certeza vou começar a acompanhar!

    • Juliana janeiro 14, 2015

      Oi Isa!
      Quando eu terminei de ler também fiquei cheia de vontade de comentar com alguém! haha
      A gente realmente fica meio chocada quando entende que o “amor proibido” da história é entre irmãos.
      Acho que é uma das relações proibidas que mais causa repulsa mesmo.
      Mas é como você disse, sem perceber a gente acaba torcendo para o casal, para que eles fiquem bem, e que consigam ficar juntos. É difícil de explicar.
      O final também partiu meu coração completamente.

  • Ana Carolina dezembro 12, 2014

    Oi Juliana, tudo bem? Olha fiquei bem interessada no livro, segunda feira pretendo comprar. Um livro que tbm aborda esse tema, é o livro Desejo, da Monica de Castro, já me recomendaram na onde eu trabalho, porém nunca tive interesse em ler, pois como trabalho em livraria, já me fizeram o favor de me contar o final.

    • Juliana dezembro 12, 2014

      Oi Ana Carolina!
      Proibido é um livro que divide muitas opiniões, ele realmente vai te afetar, seja positivamente ou negativamente. Confesso que ele me deixou muito em cima do muro, me obrigando a refletir. Se for ler, depois me conta o que achou aqui. 😀

  • Marcelo dezembro 12, 2014

    Olá Ju, como vai?
    Li o livro há alguns meses atrás logo depois do lançamento e fiquei realmente muito intrigado com toda a temática.
    Eu ainda quero resenhá-lo, mas ainda não sei bem o que dizer.
    O amor deles era super natural que nem parecia que eram irmãos.
    Gostei bastante do livro porque nos deixa tão impactados que não nos satisfazemos só com o que está escrito ali e resolvemos procurar a fundo…
    Procurei na bíblia e achei passagens que proíbe o relacionamento de irmão com irmão. Assim, como no Código Civil que proíbe o casamento entre irmãos. Achei até uma reportagem de uma filha que teria relações sexuais com a própria mãe, mas a noticia era falsa (graças a Deus).
    Acho que se nós deixarmos livre qualquer forma de amor, abriríamos brecha para casos absurdos… Como por exemplo, um pai ter um relacionamento amoroso com sua filha. Afinal… a autora quis passar que não existe limites no amor… E eu acho que existe sim, então concordo em parte com a temática apresentada.
    Além disso, eu simplesmente detestei o final que ela escolheu… Fiquei muito deprimido por alguns dias.
    Beijos,

    http://www.enquantoestavalendo.com.br

    • Juliana dezembro 12, 2014

      Oi Marcelo!
      Eu também fiquei assim como você, tentando entender algumas coisas, principalmente essa parte da ilegalidade do incesto. Que bom que finalmente posso comentar com alguém que também já leu Proibido! Hahaha. Ele é mesmo um livro de dividir opiniões né? Também sou religiosa e concordo com você em todos os pontos comentados acima, é realmente muito complicado separar as coisas, o amor sexual do amor fraternal, etc.
      Também ODIEEEEI o final, gente, o que foi aquilo? Putz. Sério, entrei em uma p. ressaca depois do livro.

      Beijos.

  • Patricia Caroline dezembro 10, 2014

    Oi Ju, tudo bem?
    Estou super curiosa para ler esse livro, pois assim como você, nunca tinha ouvido falar de uma obra que abordasse esse tema.
    Acho que no começo deve ser bem difícil para o leitor aceitar e entender a relação dos protagonistas, ainda mais pelo fato de ser algo tão polêmico.
    Apesar disso, quero muito ler o livro para ver se consigo ter uma visão diferente a respeito desse assunto, expandir meus horizontes sabe? rsrs
    Parabéns pela linda resenha e por todas as fotos maravilhosas!
    Beijos e boas leituras!

    • Juliana dezembro 10, 2014

      Oi Patricia! Tudo ótimo, espero que contigo também.
      Exatamente, esse é o ponto, a gente já tem uma idéia preconceituosa sobre o assunto e nem ao menos lemos algo a respeito, eu por exemplo, nem sabia que incesto é ilegal em alguns países, pra mim era apenas imoral e ia contra os meus conceitos religiosos, não sabia que era “contra a lei”.
      Tem um vídeo da autora falando a respeito do livro lá no Youtube onde ela explica as intenções do livro e tal, é interessante assistir o vídeo antes de ler, abre um pouco mais nossa mente. Eu não assisti antes, comecei a ler sem ter a menor ideia do tema central, acabou chegando de paraquedas mesmo, acho que é pior dessa forma, no susto.

      Obrigada! Fico feliz que tenha gostado, é um livro excelente.
      Beijo grande! <3

  • Letícia Silva Azevedo dezembro 9, 2014

    Nunca tinha ouvido falar desse livro, e nunca passei o olho sobre ele nas livrarias… Estou no mundo da leitura á uns dois anos, que leio sem parar, mas lei autores internacionais e não muito conhecidos pelo público jovem, mas pelos adultos. Mas, eu amo eles e seus livros.
    Pela sua resenha, que eu adorei, percebi que é um ótimo livro para adicionar a lista de leituras para 2015, e como nunca li nada a respeito desse assunto de dois irmãos se apaixonarem isso me interessou ainda mias. Temas polêmicos assim e que entram no campo familiar, costumam me atrair um pouco. Tenho quase certeza que torcerei para que Lochan e Maya, fiquem juntos no final, pois afinal não podemos escolher por quem nos apaixonamos, e de quem seremos irmãos. É claro que não acho certo um irmão se apaixonar por outro, pois segundo a minha fé isso não é certo, e biologicamente falando, o fruto desse amor pode a vir com problemas.
    Porém quando dois adolescentes enfrentam essa complicada situação juntos e sozinhos, com essa imensa carga de responsabilidade, é natural que cresça uma série de sentimentos que entram na concepção de um amor verdadeiro. Eles são obrigados a ocuparem os lugares de pais, e pais vai muito mais além que obrigações, tarefas domésticas, trabalho e situação financeira a respeito de casa e dos filhos. Ele se tornam um para o outro a segurança, a amizade e o companheirismo, que juntos vão dar lugar a paixão em momentos de carência e desespero emocional, que levará á uma frenética busca de satisfação física e emocional.
    Para concluir, gostaria de deixar aqui que adorei sua resenha e tenho certeza que gostarei muito do livro, estou muito ansiosa para lê-lo, mas, também um pouco insegura, uma vez que nunca li nada a respeito da autora e de suas obras.
    Um beijo Ju, eu adoro seus livros e seu blog, fique com Deus, e tudo de bom !!!

    • Juliana dezembro 10, 2014

      Oi Letícia!

      Nossa, você praticamente resumiu a minha resenha toda em poucas palavras, haha. É exatamente isso que acontece com Lochan e Maya, a carga tão grande de responsabilidades familiares e de casa os coloca em uma situação de “casal” mesmo, de companheirismo, apoio e segurança. É super interessante ver como é a progressão dos sentimentos deles e como acontece essa transferência do amor fraternal para o amor entre homem e mulher, o desejo físico e emocional, a necessidade da presença do outro. E realmente tanto Maya quanto Lochan são extremamente solitários e carentes (de tudo!) na vida.
      Acho que tem uma grande chance de você gostar desse livro sim, Letícia, mesmo você não conhecendo nada dessa autora, a escrita e narrativa dela é muito boa mesmo.

      Muito obrigada pela visita, comentário e elogios. <3
      Fico muito feliz que você goste do Nuvenzinha, hihi.

      Beijos!

      • Letícia Silva Azevedo dezembro 10, 2014

        Bjuus, Ju e obrigada pelo carinho e atenção de ler e responder…

  • Daniele Soares dezembro 9, 2014

    Assim como você, Ju, também fiquei (no caso, ainda estou) receosa quanto à temática do livro – apesar de já ter lido ou mesmo assistido algo voltado ao incesto. Aliás, o enredo de “Proibido” me lembrou de “Flowers in the attic”, que retrata a história de um grupo de irmãos que, após a morte do pai, é trancafiado no sótão da casa dos avós por serem “aberrações”, vez que seus pais eram primos. E a partir daí, Cathy e Christopher (os primogênitos) acabam se responsabilizando pelos irmãos menores e se apaixonando, mesmo estando “condenados”, segundo sua avó.
    A diferença é que, em “Proibido”, o tema é tratado de forma suave. Em “Flowers”, não. Ainda assim, é uma leitura interessante.
    Sua resenha fez com que meu receio se acalmasse. Anotarei “Proibido” na lista de livros a comprar/ler em 2015! 😉
    Bjsbjsbjs,
    Daniele.

    • Juliana dezembro 10, 2014

      Oi Dani!
      Olha, esse “Flowers in the attic” me parece familiar, acho que alguém já comentou algo a respeito comigo. Esse tema é mesmo algo que causa repulsão nas pessoas, não é algo que nos chame atenção positivamente. Nem imagino como é tratado esse tema em Flowers, porque se não for de forma suave e delicada, acho que pra mim não rola ler. Fico muito receosa mesmo. Rs
      “Proibido” é bem tranquilo, chega até a doer de tão bonito e sensível, o livro mostra um lado muito diferente dessa temática.

      Beijos, Dani.